Blog Foliculite

Foliculite vaginal: causas e cuidados

publicado em 19/12/2021

Infecções ginecológicas são muito desconfortáveis, embora muito comuns entre a maioria das mulheres. Uma das mais comuns e menos graves é a foliculite vaginal. 

 

A foliculite é caracterizada por uma inflamação na raiz dos pelos (folículos pilosos), que leva ao aparecimento de erupções vermelhas na região acometida.

 

Essa simples inflamação geralmente é causada por uma infecção bacteriana ou fúngica, podendo aparecer em várias partes do corpo, incluindo a região vaginal, mais precisamente na vulva e virilha.

 

O sintoma mais comum, além das lesões avermelhadas, semelhantes a espinhas ou acne, é uma leve coceira, que também pode vir acompanhada de dor e sensibilidade na região.

 

Na maioria dos casos, a foliculite na vagina é superficial e costuma desaparecer sozinha, sendo geralmente causada pela depilação íntima incorreta, seja por lâmina de barbear ou cera quente.

 

Confira abaixo as principais causas e sintomas da foliculite vaginal, além dos tratamentos adequados e cuidados necessários para evitar a inflamação. 

O que é foliculite vaginal?

A foliculite pode se apresentar em várias regiões onde há o crescimento de pelos, mas no caso da foliculite vaginal, a condição surge na região da vulva.

 

A foliculite vaginal costuma surgir por conta de pelos encravados na região, principalmente na vulva que possui fios mais duros, grossos e em maior quantidade.

 

No entanto, há casos em que a foliculite vaginal é causada por fungos ou bactérias. Neste caso, deve ser tratada o quanto antes, para evitar a formação de manchas e cicatrizes, ou se espalhar por outros locais da região.

Sintomas de foliculite genital

Essa inflamação é caracterizada por pequenas lesões avermelhadas, semelhantes a espinhas, contendo pus ou não em seu interior.

 

Em geral, as lesões acarretam em vermelhidão na pele ao redor da região acometida, coceira, dor ou uma maior sensibilidade na região genital feminina.

 

Geralmente, a foliculite genital é superficial, mas quando a inflamação atinge áreas mais profundas da pele, pode até formar furúnculos.

Quais as causas da foliculite vaginal?

A depilação íntima, seja com cera quente ou lâmina de barbear, é a principal causa da foliculite vaginal, que costuma surgir na região da vulva e virilha.

 

Isso acontece por uma série de motivos. No caso das lâminas, elas promovem uma ação de atrito agressivo na pele, que acaba provocando um processo inflamatório no local, deixando a área mais suscetível à contaminação por fungos ou bactérias. 

 

A fricção ao passar a lâmina para raspar os pelos, principalmente no sentido contrário ao crescimento deles, também atrapalha a sua saída dos poros, fazendo com que cresçam internamente, o que leva a encravar. 

 

Consequentemente, favorece a inflamação dos folículos. 

 

Além da lâmina, a cera quente também acaba favorecendo a inflamação ao dilatar os poros, que aumenta a ação de bactérias no local. 

 

Além disso, a cera arranca os pelos pela raiz, enfraquecendo os novos pelos, que não possuem a força necessária para atravessar os poros, o que contribui novamente para um crescimento interno, provocando o processo inflamatório.

 

Outras causas que também favorecem a foliculite vaginal é o uso de roupas íntimas apertadas, muito grossas ou feitas com tecidos que abafam a pele, prejudicando a respiração no local.

 

Ambiente úmido e quente é mais favorável à proliferação de fungos e bactérias, principalmente no verão.

 

O acúmulo de células mortas nos poros, alta oleosidade na região, suor excessivo e falta de higiene local também podem contribuir para o surgimento da foliculite vaginal.

Como tratar a foliculite vaginal

O tratamento para foliculite vaginal é simples, mas é interessante ser acompanhado por um ginecologista ou dermatologista, capaz de orientar um tratamento específico para cada caso.

 

Em geral, o especialista recomenda o uso de dermocosméticos indicados para a área íntima, como pomadas com ação antisséptica e anti-inflamatória para ajudar a reduzir a inflamação ou até prevenir novas ocorrências.

 

Estágios de infecções mais avançadas podem exigir o uso de remédios antibióticos, corticóides e/ou antifúngicos.

 

No entanto, há várias medidas preventivas e cuidados que podem ser feitos diariamente e incluídos na sua rotina de higiene.

Tratamento caseiro para foliculite vaginal

O melhor tratamento para a foliculite vaginal é a sua prevenção através de cuidados íntimos reforçados. 

 

Portanto, a higiene íntima deve ser dobrada durante os cuidados diários, principalmente se a condição costuma ser recorrente. 

 

Mantenha sempre a limpeza apenas com água morna e sabonete íntimo líquido com pH neutro. Evite tratamento caseiro para foliculite vaginal que não possui comprovação científica, pois ele pode colocar em risco a sua saúde!

 

Se você não abre mão da depilação íntima, procure optar por métodos menos agressivos; ou se optar pela lâmina de barbear, use da maneira correta. 

 

A área deve estar bem limpa, as lâminas novas, e nunca passe o aparelho de barbear no sentido contrário do crescimento dos pelos ou na pele totalmente seca, que favorece o crescimento irregular dos pelos e deixa os poros mais vulneráveis a infecções. 

 

Você deve umedecer a pele com água morna, usar sabão neutro até fazer espuma grossa ou um creme específico para isso. 

 

Isso vai facilitar o deslizamento da lâmina sobre a pele, sem precisar passar mais de uma vez.

 

Depois da depilação, utilize produtos calmantes e hidratantes para prevenir a inflamação e acalmar a área que sofreu com o atrito. 

Outras medidas preventivas

Evite fazer esfoliação na virilha e na vulva, e também não use calcinhas muito apertadas ou que não sejam feitas de algodão, que não abafam a região. 

 

Para aliviar a coceira e diminuir a vermelhidão, faça compressas mornas na região, mantenha sempre a região seca, trocando de roupa suada ou molhada sempre que puder, e NUNCA coce ou manipule as lesões, para não infectá-las ainda mais.

É possível acabar de vez com a foliculite vaginal?

As infecções genitais são comuns, mas muito difíceis de curar definitivamente, por conta do ambiente quente e úmido da região, muito suscetível aos microorganismos. 

 

Por isso, sempre acabam sendo recorrentes. É o que acontece com a foliculite vaginal, afinal o atrito com a roupa íntima e outros fatores são favoráveis à inflamação no local. 

 

Medicações tópicas ou orais podem ser uma excelente opção para evitar novos surtos e controlar totalmente as lesões existentes!

Acesse nossa Loja Virtualclique aqui para ver todos os produtos
Cadastre-se e receba novidades.
Endereço de email inválido, favor corrigir.
Endereço de email já cadastrado.
The security code entered was incorrect
Agradecemos sua inscrição!
COMPARTILHE: